Jorge de Lima, panfletário do Caos (Roberto Piva)

Foi no dia 31 de dezembro de 1961 que te compreendi, Jorge de Lima, enquanto eu caminhava pelas praças agitadas pela melancolia presente             na minha memória devorada pelo azul eu soube decifrar os teus jogos noturnos indisfarçável entre as flores uníssonos em tua cabeça de prata e plantas ampliadas como teus olhos crescem na…