Felicidade clandestina

Finalmente concluí a leitura da biografia de Caio Fernando Abreu. Uma biografia diferente, narrada a partir da perspectiva da jornalista Paula Dip, amiga pessoal do escritor. O livro é longo, mas não cansativo, especialmente para quem gosta do cara. Tenho uma edição de Morangos Mofados de 1984, com capa e desenhos de Alex Vallauri. E…

Vivo bem sem

Vanguart (Sinceramente…) Los Hermanos (Já ouvi o CD Ventura, eu tentei…) CQC (Não vejo graça…) Lost (Me cansa terrivelmente) Gisele Bündchen (Beleza? Ah, tá bom) Filme em série tipo X-Men, Star Trek… (Ah, sei lá, mil coisas) Mallu Magalhães (Não desce, não desce, não desce…) Desperate Housewives (Ai, meus sais) Salas de chat e Msn…

Como vivo hoje

Não sei quantos anos eu tinha na época. Entrei na Facom aos 21 em 1989. Acho que uns 22, no máximo. Gonçalo Júnior devia ter 23. Fazíamos um jornal-mural chamado “Vacilos da Vocação”. Eu, ele, Mariana Carneiro, Ana Cristina Pereira e Carlos Cabus. Era um jornal feito de noite e que amanhecia na entrada da faculdade,…

A hora exata

Me perguntaram a hora exata do alinhamento, que durará 18 minutos. Dei uma pesquisada e achei. Será no sábado, dia 14, às 4h25 (horário de Brasília).

Jacaré e Saborosa

Corrigi o poema e a memória traiçoeira de menina. Saborosa e Jacaré eram marcas de cachaça mesmo, como Ari Coelho cantou desde o início. Maria Guimarães Sampaio me corrigiu (no romance dela, Rosália não diz que Saborosa e Jacaré eram cervejas, só cita as marcas). E Bernardo Guimarães confirmou, recordando até o aroma da Saborosa:…

A vinda dos ets

Quando criança, um dos meus grandes medos era pegar fogo. Literalmente. Tudo culpa do sensacionalismo do “Fantástico”, que divulgava casos de combustão humana espontânea. Isso existe, sim, tem até na wikipedia. Sempre fui fissurada por lendas urbanas. Teorias de conspiração e que tais incendiavam a minha imaginação. Agora, uma australiana chamada Blossom Goodchild, que diz…

Chave de fenda e Boca doce

Essa eu peguei no blog de Márcia Rodrigues, o delicioso Sarapatel. Adorei “Claudinha Boca Doce”, mais até que “Marcela Chave de Fenda”.

Por 15 minutos de fama, infâmia

O costa riquenho Guillermo Vargas Habacuc amarrou um cão de rua e o deixou morrer de fome e sede diante dos impassíveis visitantes de uma galeria de arte na Nicarágua. O feito agradou aos críticos, que o convidaram a repetir a instalação na “Bienal Centroamericana Honduras 2008”, sacrificando outro animal. Clicando aqui, você pode assinar…

Evite lugares-comuns

Meu amigo Luís mandou para mim 30 regrinhas para escrever bem. Foram criadas por um desses anônimos da internet. O barato de cada sentença é que ela é escrita com os erros que condena. Como o texto é longo, publico apenas 10. Não passa de uma brincadeira, sem pretensões de manual. Para escrever bem… 1….

Peça de museu

Lembra do Abba, quarteto sueco que virou febre nos anos 70 e deu charme às trilhas sonoras de “Priscilla, a Rainha do Deserto” e “O Casamento de Muriel”? Ele vai ganhar um museu em Estocolmo, com 6,5 mil metros quadrados e quatro andares. O Abba The Museum (http://www.abbamuseum.com) terá ingressos vendidos exclusivamente pela net, entre…