Exausta!

Bom, foi um final de semana agitado.  Na quinta-feira, eu e Mônica Menezes concorremos com Elisa Lucinda e Rubem Alves, que lotaram o auditório da Bienal. Até pensamos que o Café Literário ficaria vazio. Mas, além dos amigos, muita gente boa pintou para ver e ouvir. Falamos sobre intimidade e poesia, recitamos e respondemos algumas…

Hoje só segunda

Vou deixar para contar tudo na segunda, sobre a Bienal e o evento em Jequié. Aí coloco até umas fotos. Hoje, tem recital na Praça do Cordel e da Poesia, às 20 horas. Viajo amanhã bem cedinho e só retorno no domingo. Só digo que praticamente obriguei Marcus (Licuri) Gusmão e Soraya a ficarem no Café Literário. E que…

No twitter

Me rendi ao twitter. De quebra, convidei meio mundo pra se juntar a mim. Agora, estou lá, em http://twitter.com/katiaborges com mais papo furado do que nunca. Não reparem na bagunça e nos posts sem sentido. Ando perdida ainda, sem saber para que afinal serve aquilo. Mas é divertido. Amanhã, dia 23, às 20h20, estarei no Café…

Paquetá 2

Nunca estive em Paquetá, o embarque na Praça XV, atravessando a Baía, o chorinho na Guanabara, a estação Cocotá, a comida do Charretão, em frente aos aerobarcos, a capela de São Roque, a histórica Freguesia. Mas quanto mais Paquetá de minha alma se distancia, eu sinto a vida por lá, as noites mornas da ilha….

Pelo caminho dos astros

Honorável São Francisco, leva ao céu todos os bichos que amei em minha infância. Viste por aí Possante, gato cheio de elegância que brincava de esconder? E a cadela pequenina que, atropelada por um carro, me esperou chegar do trabalho, para em meus braços morrer?  Tive um macaco, coitado, enlouqueceu certa tarde, foi expulso lá…

Na bienal

No dia 23, às 20 horas, no Café Literário, ao lado de Mônica Menezes. No dia 24, às 20 horas, na Praça do Cordel e da Poesia, ao lado de Mayrant Gallo. Clique na imagem para ver toda a programação da bienal.

Toda semana é santa

Vivemos no clichê da única certeza, a frágil esperança de que o acaso mande um mote, mostre a trilha. Deus é esta fé em enganar a Iniludível. Faz voar, criar submarinos e calendários. Vivemos no clichê da indesejada visita, “a mesa posta, cada coisa em seu lugar”. Deus é esta distração que nos protege contra…

Flor do cotidiano

Procuro uma alegria na mala vazia do fim do ano e eis que tenho na mão – flor do cotidiano – o vôo de um pássaro e de uma canção. (Procuro uma alegria, Carlos Drummond de Andrade)

Hoje tomo alegria

“Uns tomam éter, outros cocaína. Eu já tomei tristeza, hoje tomo alegria. Tenho todos os motivos menos um de ser triste. Mas o cálculo das probabilidades é uma pilhéria…” (Manuel Bandeira, Eu não sei dançar)

Uma boneca para Madalena

Perdi meu penúltimo tio ontem. Ele tinha 84 anos e se chamava Joaquim. No mesmo dia, minha tia Isabel comemorava 81 anos em São Paulo. Ao saber da morte do irmão, ela ficou calada, sem condições de falar. Temi a reação de minha mãe, os olhinhos enverdeados cheios de lágrimas, nem quis ir ao velório…