Um labirinto onde corro e nunca chegarei a nada.
Fogo… fogo, como
uma esfera vermelha e líquida onde intranquilos
segredos moram…
Um corredor de passagem, como um rito, onde o sino toca, e o
segredor abre… e voce vê o outro lado, o lado que poderia ter sido… e que já não importa.
O lado que é opaco e dá vertigens, o lado que é abismo e que habita dentro de mim.
O labirinto goteja versos doces e emoções fortes e certeza alguma.
O labirinto atualiza e subtrai sentimentos, mas o amor com certeza está lá, perdido
no meio das tralhas, criando poeira, ou
absorto dentro de um livro,
ou ainda solto pelas ruas, acima de títulos, acima de mágoas e de coisas que serão para sempre vãs.
Eis que não se presta a pequenos erros pessoais
e nem à morte.
E eis que sobrevive, e apenas é.

Anúncios