Desassossego

Na porta da mercearia de bairro, fumo um cigarro, o primeiro do dia, após um acontecimento que não é de amor ou de poesia. Na porta da mercearia, sonhos antigos passam, acenam, pedem adeus. Ah, Deus, se vão, “com o mistério das coisas, por baixo das pedras e dos seres”. Três moedas tilintam no bolso…

Nesta desmedida

Há um poema aqui nesta desmedida. Sim, há um poema aqui nesta desmedida. Sem palavras, zen, sem saber de sílabas. Há um poema aqui, sim, nesta desmedida.

“O Madame vai junto”

Carnaval esquisito. Adal deu sinal de vida após longo período de sumiço (disse que foi ao Capão e que produziu uma peça de teatro). Na quinta, me chamou para ir com ele, num grupo chamado “Os endiabrados”, todos com chifrinho pisca-pisca e tridente, para “Os mascarados”. Preferi ficar quieta no meu canto. Nos outros dias,…

É na boquinha da garrafa

Texto do blog Amor e Hemácias, do escritor Santiago Nazarian. “Os novatos têm de se concentrar na leitura, em aprender a elaborar uma escrita de qualidade. Sair por aí exibindo-se e achando que assim vai se afirmar não funciona.” E acrescenta que não considera literatura a produção blogueira. “São diários, como os diários de debutantes…

Charge compara Obama a macaco

O jornal americano “New York Post” publicou ontem uma charge que compara o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a um chimpanzé morto a tiros pela polícia. O desenho causou ira entre os jornais americanos e internacionais, que criticaram a obra como racista. A charge, de autoria de Sean Delonas mostra dois policiais perante o…

Água em Marte

A água em Marte é capaz de se mover, misturar e mudar de coloração, diz o geocientista Nilton Rennó. Essa é uma das evidências encontradas por ele para dizer que a substância existe no planeta em estado líquido, e não só congelada. Com base em fotos tiradas em datas diferentes pela sonda marciana Phoenix, ele…

Um poema de Martha Galrão

Fevereiro ferve me dá febre Me come feito homem. Fevereiro arrepia os bicos dos meus seios Abocanha meus sonhos. Fevereiro tem fome não tem piedade Me consome. Fevereiro, me deixa.