atgaaacqr0yswbenijlurjyq50csz-p6m3theut_kh51igv1v9vrclwh064tbcy0o7p1wzvhd3jm5gxmy1p2w2boypcoajtu9vbz00hkais5puox96jiw2xkh-jyww2

Na foto, a minha sobrinha Mariana. No Réveillon, ela acabou no palco, cantando com a banda. Se eu disser que ela canta divinamente “Me and Bob MgGee”, de Joplin, vocês acreditam? E ainda dedica para mim. A virada de ano foi bacana e simples, com amigos e amores, em Villas do Atlântico. No dia 31, saí do trabalho para pegar uns frios na Perini e reecontrei Beto, que não via há quase duas décadas, a mesma cara de menino. Ele é primo de Guilherme, grande amigo, morto há alguns anos. Saudade. Na primeira sexta do ano, Lima, Gerana e eu fomos para a casa de Luís. Muito papo, risoto de fruto do mar e muitos risos, com sarau de música pop, de Bee Gees a Madonna, improvisado na varanda. O que menos importava era a afinação. E ficamos sem saber quem era, afinal, o cantor grego de que Luís tanto falava. Será que ele lembrou o nome? Trabalhei direto, na semana posterior ao Natal, mas até isso foi legal. Agora, corro para pôr em marcha um projeto prático com atraso. Vejamos se dará certo….

Anúncios