Pôr-do-sol na Barra

Pôr-do-sol na Barra

Votar é voltar. Ver a Ribeira animada por bandeiras e bandeirolas. Gente simples nas ruas. Na Cidade Baixa, tive notícias de Glória, minha grande amiga, hoje vivendo na Alemanha. Revi Zé Eduardo, irmão da vida toda, e Vera, a mãe dele. E Dona Lurdes, antiga vizinha, daquelas que não se encontra mais, e que agora tem uma piscina na casa maravilhosa que comprou no bairro. O mar espalhado por todos os cantos, onipresente, os imóveis antigos, lindos, lindos, e os mesários com caras conhecidas. A seção eleitoral fica no colégio em que estudei na infância, o João Florêncio Gomes, e lembranças de tanta gente boa. As salas de aula, o pátio, a cantina. Noêmia, a Noca. Mário Itaparica, o punk. Mônica, Lília, Loura… Marcelo Galvão, hoje pai de família. David e Raquel. Depois dessa viagem, com o rosto queimado de sol, fiz contato com a nave mãe e fui recolhida por Érica para o almoço. Pirão de leite e carne de sol no Picuí. Uma cerveja gelada. E o pôr-do-sol da foto no Barravento. Feita com o celular.

Anúncios