Antes da tempestade

Antes da tempestade,
fiz um chá, molhei as plantas,
 fui pra varanda olhar a luz do dia,
refletida no teto dos carros,
e vi mães apressando o passo
com seus filhos, avós e netos.

A chuva veio forte e lenta,
como se caminhasse, a água,
repartindo o dia em dois –
anoiteceu de repente
dentro da tarde.

Bebi meu chá
lentamente – o aroma
adocidado do mate pairando
sobre os móveis. A TV
silenciada por trovões.

Na parede amarela da sala, Santa Bárbara
dividia comigo as aflições.

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. blag disse:

    Santa – e bárbara – delicadeza, Kátia!

  2. aeronauta disse:

    Faço refrão a Nilson.

  3. martha disse:

    Que chuva boa.
    A água como divisor do dia…vc criou uma bela imagem.
    beijo,

  4. Adorei o poema por trás do poema graças à simbologia (molhar as plantas/ tempestade, quietude/ caos). Excelente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s