Donana e Francisco Benvenuto, filhos de imigrantes, pais de minha mãe. A ela, dediquei um poema em “De volta a caixa de abelhas”, onde narro nosso primeiro/último/único encontro.

Anúncios