Todo mundo já escreveu sobre isso. As meninas chinesas Yang Peiyi e Lin Miaoke. A pequena cantora “feia” e sua dublê de corpo “bonitinha”. Nada mais emblemático. Não vi a abertura dos jogos de Beijing, mas ouvi comentários sobre a gradiosidade e o luxo da cerimônia. Não me entusiasma a pirotecnia retocada por computador da China, sua culinária exótica de espetinhos de escorpião ou sua riqueza econômica plastificada. Quando penso na China, o que me vem à cabeça é a beleza simbólica dos hexagramas do i ching. As tradições da China cantam, mas é outra China que aparece na TV.

Anúncios