Paciência

Contando: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10… Anúncios

Fuga

Um dia vazo, profundo mar.

Sociais

Hoje, tem lançamento do “Livros de Imagens” de Antonio Naud Júnior e de vários livros do extinto selo As Letras da Bahia, a partir das 17 horas, no Palácio Rio Branco (Praça Municipal). Serão lançados: “Capoeira de Angola como treinamento” (Evani Tavares Lima); “O velho coronel e outras crônicas” (Regina Oliveira), “Ruínas aladas” (Luiz Fernando…

Compartilhando poesias

O poeta em mim O poeta disse que há um Deus em mim. E disse sem dizer – ou não dissesse. Ah, poeta, eu sou o Deus de tua prece, erva daninha axial de teu jardim. Melhor: eu sou o totem do esconjuro que dá sentido a teu mundéu de fé. Ainda melhor: sou tudo…

Compartilhando poesias

Há um poeta em mim O poeta disse que há um Deus em mim… E o disse sem dizer, ou não dissesse. Ah, poeta, eu sou o Deus de tua prece, erva daninha axial de teu jardim. Melhor: eu sou o totem do esconjuro que satisfaz a teu mundéu de fé. Inda melhor: sou tudo…

Desencontros de primavera

Minha avó Alice, mãe de meu pai, era uma figura. Meio índia, cega, cheia de crendices, sabia histórias de assombração que fariam até Poe tremer. Eu e minha irmã ficávamos sentadas na porta da casa dela, escutando, impressionadas. Mais que cantar, minha avó amava ouvir canções. E me pedia para cantar para ela “Desencontros de…

“Que a malvadeza desse mundo é grande em extensão E muita vez tem ar de anjo E garras de dragão” (Medalha de São Jorge, letra de Moacyr Luz e Aldir Blanc)

Sincretismo

Um probleminha básico me deixou sem internet em casa. Leminski tem um poema em que fala que problemas não tiram férias, nem saem de folga nos fins de semana: “Aos domingos, saem todos a passear. Senhor e senhora problema com todos os seus probleminhas”. É algo assim. Já os orientais dizem que se o problema…

O poema

De Donana, só lembro os olhos muito azuis. Os olhos engoliram o resto das lembranças, que já não eram muitas. Eu era pequenina e fui levada pela mão, achando uma maçada estar naquele fim de mundo para ver Donana morrer. (Eu nem sabia quem era aquela mulher, ela ainda não morava em meu coração) Os…

Avós

Donana e Francisco Benvenuto, filhos de imigrantes, pais de minha mãe. A ela, dediquei um poema em “De volta a caixa de abelhas”, onde narro nosso primeiro/último/único encontro.

Mães

Sempre que posso, clico essas senhoras lindas: minha mãe e a mãe de Érica. Na foto, as duas em Praia do Forte.

Cheiro de fruta boa

Fiquei feliz hoje ao receber exemplares do livro de Lúcia Santóri-Carneiro, Lucinha. Escrevi um texto para a orelha de “As voltas do tempo”, mas ainda não havia visto de perto, tocado, lido direitinho. Foi lançado na véspera da minha operação (em abril). Achei que ficou lindo. Gostei bastante. E, relendo o texto que fiz, lembrei…