Louis Vuitton

Fui ver “Sex and the city” no sábado, após o trabalho. Pela primeira vez, deixei a sala antes do fim da sessão. Não exatamente por causa do filme, embora ele seja bem ruim. Também estava meio chateada e isso conta. Para engolir tanta futilidade sem qualquer enredo é preciso estar feliz. Aí você até acha graça da…

Sobre homens e abutres

Achei o trailer de um dos filmes de que mais gosto (perdi a conta de quantas vezes assisti). “Ace in the Hole”, de Billy Wilder, foi exibido no Brasil como “A Montanha dos Sete Abutres”. O que mais curto no Youtube é o que ele guarda em seu baú de quinquilharias.

Bolo de milho, poesia e prosa boa

Sexta-feira, 13, dia de Santo Antônio. Fui ajudar na montagem do blog de Luís, mas acabamos apenas tomando café com um bolo de milho inacreditavelmente delicioso. Conosco estavam Lima Trindade, da Verbo 21, e Gerana Damulakis, do Leitora Crítica, minha madrinha literária. Terminamos a noite com um recital improvisado na sala do apartamento (Sá Carneiro,…

Para E.

Ama-me. Ainda é tempo. Interroga-me. E eu te direi que nosso tempo é agora. Esplêndida de avidez, vasta ternura Porque é mais vasto o sonho que elabora Há tanto tempo sua própria tessitura. Ama-me. Embora eu te pareça Demasiado intensa. E de aspereza. É transitória se tu me repensas. (Hilda Hilst)

Automatic lover

Fui mostrar pra minha sobrinha de 10 anos o que eu gostava quando tinha a idade dela. Júlia ficou pirada com um vídeo de Dee D Jackson que fez o maior sucesso em 1978 e que achamos no Youtube. “Automatic Lover”. Ah, eu era louca pelo robô tosco que dançava com a cantora. Aliás, eu…

Por aí

Dias atrás mandei uns textos via e-mail para Régis Bonvicino, co-editor da revista literária “Sibila”. Ele me deu vários toques sobre o poema “Norma Jean” e, como não tenho nenhum problema em receber críticas, acatei as sugestões. O resultado dessa troca está em Sibila. Obrigada, R. Também tem um poema meu, sem título (aceito sugestões),…

Qualquer bobagem

aonde vou, levo comigo um coração aberto, mesmo se é sábado ou domingo, quando até os sentimentos folgam, deixo os meus de plantão. Assim, olho aceso e sorriso, palavra boa na boca, sempre estarão de serviço.