Os menores poemas do mundo,
e seus versinhos sem rimas,
serão sumariamente esquecidos
com o passar dos anos
(na década seguinte, ninguém lembrará sequer que existiram).
No máximo, pequenos, mínimos, sem rimas,
serão usados como exemplo
do que não se deve fazer em poesia.

Anúncios