O que faria diferença, o que transformaria 2008 no melhor ano da minha vida? Eu sei, logicamente. E nem preciso visitar o campo de concentração de Dachau para ter uma iluminação ou percorrer os 800 quilômetros do Caminho de Santiago. O primeiro passo para todos, acredito, é levar a sério a brincadeira do “se eu fosse eu”, proposta por Clarice Lispector. Há outro atalho. Mas os que não gostam de dizer palavrão podem trocar a palavra com “f” por “dane-se!” Trabalharei quatro dias direto no feriado do Natal, incluindo o sábado e o domingo. Daí, como dizem lá em Pato Branco, viajo para Lençóis depois da virada do ano. Planejo ficar uma semana por lá. Anotações de um dia ensolarado que será de trampo e sem praia.

Anúncios