Ando sem tempo para mim e para o “Madame”. No sábado, fui para a LDM dar um abraço em Lima Trindade e acabei no Baobá do Rio Vermelho, ouvindo sambão e comendo feijoada a 12,90. No domingão, festa de comunhão da sobrinha de 10 anos com a família e trampo até às 21 horas no jornal. Só hoje senti vontade de dar um pulinho no “Madame”. Não para escrever poesia, mas para uma anotação rápida de umbigo. Dormi mal e porcamente e acordei cansada, sem humor. O meu I Ching só aponta transição e duração. Mas não são opostos?

Anúncios