A net e seus mistérios… Você mergulha na aridez da infovia e, de repente, dá de cara com uma paisagem, como o blog português “Poesia & Lda”, com pequenas biografias e análises literárias. Lá, pesquei este poema de Billy Collins, um novaiorquino nascido em 1941. Gosto do modo como ele extrai lirismo de um gesto, de como explora a visualidade…

EMBRACE

You know the parlor trick.
Wrap your arms around your own body
and from the back it looks like
someone is embracing you,
her hands grasping your shirt,
her fingernails teasing your neck.

From the front it is another story.
You never looked so alone,
your crossed elbows and screwy grin.
You could be waiting for a tailor
to fit you for a straitjacket,
one that would hold you really tight.

ABRAÇO

Conheces o truque do gabinete.
Enrola os braços à volta do teu próprio corpo
e de trás parece que
alguém te está a abraçar,
as mãos dela agarrando a tua camisa,
suas unhas cardando o teu pescoço.

Já de frente é outra história.
Tu nunca pareceste tão só,
de cotovelos cruzados e esgar contorcido.
Podias estar à espera do alfaiate
para provar uma camisa de forças,
uma que te agarrasse muito junto.

Anúncios