Meu pai morreu no primeiro dia de dezembro de 2002, quase dois anos após um diagnóstico de câncer de pulmão. Seiscentos e poucos dias de aflição. Ainda lembro do último exame que abri e de como desmontei por dentro. Nunca me senti tão só. Onde foi mesmo que ouvi a frase sobre o mundo tornar-se um lugar assustador quando se perde os pais? Ah, sim, foi num episódio de “Crossing Jordan”.

Anúncios