A gripe me pegou de jeito esta semana, embora eu tenha conseguido honrar todos os compromissos, incluindo uma ida ao novo shopping. Acabei faltando ao curso da Facom na segunda-feira por causa da febre e dores no corpo. Fui trabalhar todos os dias “na tora”. De manhã, até que dá pra acordar cedo com alguma disposição, mas, à medida que o dia avança, o corpo vai pedindo arrego. Como minha aula vai até às 22h30, podem imaginar como fico depois do intervalo, por volta das 20 horas. Aí acabo mesmo saindo mais cedo. Tenho até dormido cedo. Como convivo com a insônia desde criança, tenho sempre em casa um remédio natureba para pegar no sono no tranco. Às vezes funciona, outras não. Será que a insônia da vida toda tem a ver com a desorientação espacial? E o que dizer de perder toda e qualquer coisa, de ingressos para a “Formidável Família Musical” a um diploma de jornalismo, cuja segunda via custou R$ 80? E de ficar dirigindo com a carteira provisória de motorista durante quatro anos?

Anúncios