abril 2007


Queria um samba! Algum que fosse
como os que aprendi na infância,
ouvindo a minha avó cantar
feito Dona Ivone Lara, zunindo
nas colinas, com voz forte,
de dentro da mais absoluta escuridão.
Taborilando com os dedos
nas pregas da saia, rindo com
mil dentes, enxergando as rimas,
que saboreava na boca. Um samba agora,
urgentemente, dentro de mim.

Há um limite, creia, até para quem passeia
na beira do precipício. Há um momento
em que até o mais pirado inventa
de se internar no hospício em busca de sossego.

Essa é impagável. Uma doida parte pra cima da repórter Aline Castelo Branco e causa o maior tumulto. Tudo registrado pelas câmeras do Se Liga Bocão.

Próxima Página »